Garupa legal – Como se comportar na garupa de uma moto

Posição correta para o garupa da moto. Mãos delicadamente apoiadas na cintura do piloto

Vai fazer sua primeira viagem de moto? Muito bem. Prepare-se para viver uma experiência única e maravilhosa!

Mas é importante saber se comportar na garupa da moto. Veja abaixo as dicas para andar na garupa da moto.

Posição correta para o garupa da moto. Mãos apoiadas sobre os joelhos dão estabilidade e não atrapalham o piloto

Não sei bem o porquê, mas vemos ainda hoje poucas mulheres motociclistas… Quase todos os casais que vemos nas estradas são compostos por um homem piloto e uma mulher na garupa… Assim vou dirigir esse texto às mulheres, ok?

A grande maioria dos pilotos um dia já andou na garupa de uma moto. E quase todos já receberam algum tipo de orientação do que pode ou não pode ser feito: como subir na moto, como se segurar, como se equilibrar, etc.

Apesar disso, alguns pilotos se esquecem de que quem está prestes a subir na sua garupa e nunca pilotou uma moto pode não ter a menor noção de que fazer “contrapeso” pode jogar o casal no chão!

Bom, a falta de orientações básicas muitas vezes não chega a ser culpa dos pilotos. Algumas garupas, para não se sentirem diminuídas diante de seus parceiros (com quem vão fazer sua primeira viagem de moto) informam que já andaram de moto antes, dando a entender que sabem o que pode ou não pode ser feito.

Outras vezes, o piloto, para não parecer “arrogante”, espera para ver se sua nova garupa vai saber se comportar…

Eu já vi acontecer com alguns casais que, após várias viagens de moto, a mulher leva algumas broncas e precisa procurar na internet textos com orientações de como ser “um bom garupa”!

Certa vez, em minha adolescência, saí para um passeio de moto com um cara gatíssimo de quem eu estava a fim… Saímos e, depois de alguns poucos minutos, ele parou a moto e me deu a maior bronca (um bruto!) dizendo que eu não podia inclinar o corpo para o lado contrário ao do movimento da moto. Cá entre nós, é muito aflitivo você sentir a moto inclinando, você acha que aquilo não é natural! Na época me senti super mal; não preciso nem dizer que, apesar do cara ser um gato, nunca mais quis sair com ele, né?!

Por este motivo, e também por ver amigas procurando na internet ou mesmo me consultando para saber como se comportar na garupa de uma moto (ao invés de serem orientadas por seus pilotos) é que resolvi escrever este texto. Assim, seguem aqui minhas dicas (falo como piloto e como garupa) para quem quer ser um garupa legal e aproveitar sua experiência ao máximo.

Seguir por uma estrada sinuosa, deitando-se nas curvas para um lado e para outro é realmente uma sensação indescritível. A proximidade que a moto proporciona dos elementos que estão à nossa volta nos dá uma sensação de liberdade… Aquela sensação maravilhosa de se deixar levar por um caminho e, às vezes, não saber nem onde vai chegar! Uaaaau! É incrível!

Então vamos lá, garota… Você pode ser muito feliz na garupa de uma moto!

Vou falar aqui da postura para viagens em motos trail, custom, naked, scooter. Para motos esportivas a postura é bem diferente. Nas esportivas o garupa vai quase que deitado sobre o piloto (pelo menos nas horas em que estiverem rodando a altas velocidades). Como esse não é nosso estilo, nem vou entrar no assunto aqui. Acho mesmo que para esse estilo de pilotagem, como o risco é muito maior, cabe ao piloto combinar todos os detalhes com o garupa.

Moto tipo esportiva. O garupa vai apoiado no piloto

QUAIS SÃO AS ROUPAS ADEQUADAS PARA VIAJAR DE MOTO?

Roupas adequadas devem ser utilizadas para as viagens de moto. Se você não tiver todo o vestuário necessário (calça, jaqueta, botas) aproveite para fazer umas comprinhas… Não precisa sair comprando todos os acessórios de uma vez… Dê prioridade para uma jaqueta com os acessórios de segurança e bonita – sim, porque é preciso manter o estilo!

Jaquetas motociclismo femininas. Jaqueta com protetores nas articulações e costas

Se essa é sua primeira experiência numa viagem de moto, comprar uma jaqueta, cara, que poderá ficar perdida no meio do guarda-roupas pode ser um desperdício. Assim, você pode improvisar utilizando uma jaqueta que já possua. Mas atenção: jaqueta jeans pode te deixar com muito frio; jaquetas que não possuam o punho totalmente fechado pode “inflar” e ficar vibrando com o vento (é chato, vai por mim!). Assim, a solução seria usar aquelas jaquetas impermeáveis, justinhas, com elástico nos punhos e com uma luva por cima.

Uma boa bota também faz toda a diferença – mas não uma bota qualquer – precisa ser aquela que te deixe feminina, mas sem abrir mão da segurança! Se existe uma hora em que a mulher deve “descer do salto”, a hora é essa. Saltos atrapalham muito quando estamos na garupa de uma moto. Existem até alguns modelos de bota que possuem saltos baixos, ou saltos tipo “anabela”, esses podem ser utilizados se forem firmes e com solado de borracha. Já vi modelos de botas para motociclismo com pequenos saltos… Muito bonitinhas!

Pode também ser um tênis ou uma sapatilha, mas isso deixará a articulação do tornozelo completamente exposta! Eu definitivamente não me sinto bem viajando de tênis. Importante aqui é prestar atenção ao solado… Se utilizar uma sola escorregadia isso tirará completamente seu apoio! (explico essa questão um pouco mais para frente).

Detalhe de luva de motociclismo feminina, com proteções

Luvas também são muito importantes (de couro, com proteções nas palmas das mãos e nas dobras dos dedos) e, lógico, um excelente capacete!

Pessoalmente, eu utilizo calças jeans para viajar. Numa viagem bate-volta, ficar de macacão o dia inteiro ou precisar trocar de roupas não me parece divertido. O Carlos, assim como eu, gosta de viajar em velocidade de passeio e de não se expor a riscos.

Mas para quem vai de moto speed, andando a velocidades mais altas, uma calça com protetores faz todo o sentido.

 

COMO SUBIR E DESCER DA MOTO?

Subir ou descer da moto sempre pelo lado esquerdo, ok? E antes de fazer qualquer movimento solicite autorização do piloto, SEMPRE, pois ele precisa estabilizar a moto e olhar no retrovisor para ver se algum veículo ou pessoa se aproxima.

Se a moto for baixa e não possuir baú traseiro você conseguirá, com o pé esquerdo no chão, passar a perna direita sobre a moto e daí pisar nas pedaleiras e se arrumar; ou ao contrário, se estiver descendo.

Pedaleiras - Apoio para os pés dos garupas

Se a moto for mais alta e/ou você for baixa como eu, vale mais pisar na pedaleira, tanto para subir quanto para descer. Só que precisa ir com cuidado. Quando nos apoiamos em uma das pedaleiras e damos o impulso para passar a outra perna, a tendência da moto é cair para o lado… Para minimizar essa chance de virar a moto, vale apoiar as duas mãos nos ombros do piloto, apoiando mais o peso do corpo na mão direita (pois o pé está apoiando na pedaleira esquerda).

Se a moto tiver um baú ou um encosto, aí fica mais fácil, pois a mão direita pode ser apoiada nesses pontos (mas sempre jogando o peso do corpo para o lado direto da moto). Ainda nesse caso, você não conseguirá passar sua perna para o outro lado a menos que dobre o joelho e esteja apoiada na pedaleira para ganhar altura suficiente.

Uma vez que já esteja ajeitada em sua posição, faça um sinal para o piloto para que ele saiba que podem prosseguir no passeio. Eu normalmente dou dois tapinhas nos quadris do Carlos. Ele já sabe que está tudo certo! Cada casal vai desenvolvendo sua linguagem, certo?

 

QUAL A MELHOR POSTURA PARA O GARUPA DURANTE UMA VIAGEM DE MOTO?

 

Costas sempre retas, pescoço reto, olhando para frente.

Aí você pergunta, mas eu vou ficar horas olhando para o capacete do piloto? Rs… Não, também não precisa ser assim… Vale virar a cabeça para apreciar a paisagem, mas mantendo o corpo firme.

Se a moto que você estiver não possuir o banco da garupa bem mais alto, vale deslocar a cabeça levemente para um dos lados para poder enxergar a estrada à frente. A maior parte da emoção das viagens de moto consiste em vislumbrar as curvas e o movimento da moto enquanto está percorrendo as estradas. O que não pode é ficar virando de um lado para outro, girando o corpo como se estivesse de passageiro em um carro, certo? Mantendo as costas retas você vai garantir que chegue inteira no seu destino e não vai alterar o equilíbrio da moto.

Posição correta para o garupa da moto. Mãos delicadamente apoiadas na cintura do piloto

As mãos ficam naturalmente apoiadas sobre os joelhos. Essa é uma posição bem anatômica e dá para ficar um bom tempo sem a necessidade de fazer acrobacias sobre a moto. Quer se mexer, tudo bem, mas não com a moto inclinada como numa curva… Mas faça isso de maneira lenta. Nada de movimentos bruscos que podem desviar atenção do piloto ou até mesmo afetar o ponto de equilíbrio.

As motos também possuem alças laterais, que servem para a sustentação do garupa. Mas eu prefiro não utilizá-las a menos que seja num caso de freada muito brusca (isso garante que seu corpo não empurre o piloto para frente).

Minha referência é sempre o piloto. Onde ele vai, eu vou junto: o sincronismo dos movimentos se assemelha a uma dança.

Deixe SEMPRE os pés bem firmes nas pedaleiras. Os pés devem estar apoiados da mesma forma. Só assim você conseguirá manter seu corpo sempre alinhado à moto e ao corpo do piloto. Pés apoiados e as pernas fechadas juntas às pernas do piloto (mas sem fazer força). Essa é uma posição natural e também pode ser bastante sedutora…

Às vezes, por um segundo de desatenção ou por uma estrada mal sinalizada, pegamos uma lombada ou um buraco. Aí é que a coisa pega! Nessa hora a melhor dica que posso dar é para fazer como em uma cavalgada. Se o obstáculo joga a gente para cima, nada de cair de repente!

Estando com os pés firmes sobre a pedaleira, você conseguirá manter o equilíbrio facilmente ao invés de ficar como um “saco de batatas” sobre a moto, caindo de um lado para o outro nas curvas e pulando a cada buraco que passa. Aqui a dica vale também para prevenir impactos maiores nas costas… Se os pés estão firmes, como em uma cavalgada, a cada pulinho que a moto dá, as pernas servem para absorver o impacto da “descida” – exatamente como no galope sobre um cavalo. E você nem vai precisar usar as mãos para se equilibrar!

Basta afastar o corpo do apoio do banco e depois descer suavemente. Falando assim é esquisito, mas chega a ser gostoso! A gente já se divertiu muito numas surpresas dessas!

Uma vez, numa estradinha pelo interior, asfalto perfeito, pouco movimento, a gente estava numa velocidade alta e, de repente, surgiu uma lombada. Susto! Conforme a moto subiu, e não foi pouco, eu fiquei de pé sobre as pedaleiras (o Carlos também, lógico). A moto desceu e nós nos acomodamos novamente. Se eu não estivesse firme, teríamos beijado o asfalto, com certeza! Então… Sempre alerta: Curta a viagem e relaxe, mas não muito, ok?

Meu reflexo nessas horas é de colocar as mãos nas laterais do tórax do Carlos (sem apertar) mas para manter a referência do corpo dele.

Atenção sempre, mas também não precisa ficar como uma múmia sobre a moto, sem interagir com seu companheiro. Uma carinho é bom, e eles gostam… Por exemplo: suas pernas já estão rentes às dele… Se você der uma apertadinha com os joelhos (como se fosse um abraço), ele não levará um susto e ainda assim teremos um bom momento de interação (e ainda garante que seu piloto dê uma acordada e lembre-se que você é a pessoa mais importante da vida dele – essa técnica pode ser utilizada em invés de pedir para diminuir a velocidade, por exemplo).

Se houver uma boa integração entre vocês, e o piloto não for muito egocêntrico, ele será capaz de interpretar pequenos gestos que manifestem seus sentimentos de medo ou excitação. Não precisa conversar… Aproveite para curtir a sua viagem!

 

O bom garupa nunca dá cutucões, bate nos braços, agarra no pescoço, se segura puxando a jaqueta do piloto ou pede para que o piloto observe qualquer coisa diferente, certo?

 

Aproveite as paradas para fazer um alongamento e esticar as pernas… Isso não deve ser feito nunca com a moto em movimento.

 

Encontrei este vídeo abaixo que achei muito didático! (da revista webmotors.com.br)


 

About the author

Heloisa Gaspar

Analista de SEO por profissão. Motociclista por opção...

Readers Comments (28)

  1. Oi Gata , meu namorado tem uma moto estradeira , como faço pra segurar em caso de freada brusca , não tem aquele apoio . Costumo segurar nas pernas !!!

    Responder
    • É, amiga, as pernas precisam trabalhar quando estamos na garupa! Muitas pessoas acham que basta ficar sentada, mas o fato é que não podemos ficar como “um saco de batatas”, molengo, que fica jogando em cima da moto! rsrsrsrs
      Nas motos estradeiras, muitas vezes a distância do piloto é um pouco maior e fica mais difícil segurar na cintura… Mas se você não tem o encosto, acho bom tentar segurar na cintura dele, além de utilizar a a pedaleira. Uma freada brusca vai te jogar para frente e estando mais próxima do piloto (segurando na cintura) vai prevenir de você dar um tranco sobre o corpo dele. Também ajudar na hora de arrancadas mais bruscas, onde o corpo tente a ir para trás…

      Responder
  2. Olá. …sou bem gordinha e não tenho nenhuma experiência com garupas, tenho pavor… pois ao passar em quebra molas subo muito alto…isso me incomoda bastante. ..e descontrola o piloto. O q fazer para torna uma viagem prazerosa. ..prq pra mim tem sido pesadelo só d ve um quebra mola.

    Responder
    • Oi Natália, tudo bem?
      Que pena que suas experiências não tenham sido muito boas… Lógico que a forma de passar pelas lombadas vai interferir nos “saltos”, mas o meu conselho para os/as garupas é manterem sempre os pés bem fixos nas pedaleiras. Se você subir na lombada, fixar os pés e segurar o retorno com as pernas é fundamental para não desequilibrar a moto, nem dar trancos nas costas…
      Mas peça para o piloto ir com mais cuidado nas lombadas… Seria o melhor!
      Bjs

      Responder
  3. Olá
    Tenho verdadeiro pavor de moto, não me imagino nem sentada em uma. Meu namorado está comprando uma moto agora e ele planeja fazer muitas viajem e quer que eu vá junto.
    Querer viajar eu quero, pra está junto com ele, mas fico apavorada de pensa em subi na moto, não sei como perde este medo.
    Se alguém puder me ajudar eu agradeço.

    Responder
    • Oi Mzinha! Viajar de moto é muito gostoso, e a proximidade que temos com o piloto é uma coisa realmente diferente… Apesar de não poder ficar conversando, há uma sincronia que nunca (apesar dos meus 27 anos de casamento) vivenciei em outras situações…
      Não fique com medo, ok? O importante mesmo é ele saber o que está fazendo! Se ele não tem experiência com motos, melhor esperar para que ele conheça melhor sua máquina… Nesses casos eu indico (de olhos fechados) o curso do Amaral Instrutor. Se quiser, um dia podemos marcar e saimos juntos, com calma, sem pressa… Só para te dar um apoio, ok? bjs

      Responder
  4. Olá, Heloísa…um alento ver a sua página…e saber que eu não sou a única a ter “dificuldades” na garupa de uma moto …soma-se, à minha inexperiência, o medo e a dor física…aprender depois de “grande” não deve ser mesmo tarefa tão fácil (45 anos e duas hérnias de disco…rsrs…)…
    …meu marido, com muita paciência, diz que preciso “relaxar” na garupa para, dessa forma, facilitar o seu trabalho enquanto “piloto”, e assim, não precisar fazer tanta força para estabilizar a moto.
    Mas confesso que me sinto uma ET: coluna reta, tudo reto, movimentos sutis…mas me equilibrar e, ao mesmo tempo, ficar “confortável”, e sem “oscilar” entre freadas e aceleradas ainda é um desafio…mas continuarei insistindo comigo……..abraço!

    Responder
  5. Nossa gostei muito das dica e muito difícil saber o que fazer em uma moto, mais em breve vou tira carta de moto isso vai facilita muito, mais te agradeço muito pela dica e de moda tbem muito obrigada.

    Responder
  6. Oi Heloísa!
    Estou fuçando a internet toda atrás de dicas pq nesse feriado, meu namorado e eu, vamos viajar e esta será a minha primeira viagem de moto!!
    Confesso que estou super ansiosa, mas muito animada!!
    Seu texto me ajudou muito! Sempre fico com dúvidas se estou fazendo tudo certo, até mesmo quando andamos na cidade. E olha que ando de moto todo dia hein… Como garupa, mas com prazo de validade! Hehehehe… Já já virarei piloto!! 😀
    Obrigada pelas dicas!
    Bjo

    Responder
  7. Excelente Heloísa, obrigada pelas dicas! Estamos partindo na segunda para a Rota 66, e com certeza tuas dicas já estão anotadas e introspectadas!

    Responder
  8. Bom dia!
    Gostei muito das suas dicas!
    Meu namorado comprou uma CB 300 em fevereiro e, depois de muita insistência, nosso primeiro passeio juntos foi ontem! Confesso que fiquei bastante apreensiva no início, me arrependi de ter topado mas no geral foi bacana. Medo mesmo só senti nas curvas e foi muito difícil não jogar o corpo para o lado contrário…

    Espero colocar suas dicas em prática no próximo passeio e assim conseguir aproveitar melhor…

    Um abraço!

    Responder
    • Que legal, Isla!
      Passear de moto é tudo de bom… Mas é importante relaxar um pouco… aos poucos você vai se acostumando aos movimentos, você vai ver!
      Depois conte para a gente sobre suas experiências, ok? Essa troca é sempre muito rica!
      bjs

      Responder
  9. Berenice Beatriz 30 de maio de 2015 @ 20:09

    Nossa!!!!!!!! muito esclarecedor pra mim….estou passando por uma crise de duasrodas..kk afinal meu marido ama motos e eu simplesmente tenho medo..chega quase a pânico e isso com certeza pode levar a um acidente.Infelizmente ele não é muito paciente.Comprei jaqueta adequada,luvas..mas sinto que ele me deixa insegura porque parece não ligar muito para esses itens de segurança um exemplo um quando sai com uma bota de cadarço simplesmente a deixa frouxa no pé,,como posso me sentir segura ?? enfim ,vou me esforçar para acompanhá-lo.UM ABRAÇO!

    Responder
    • Oi Berenice,
      Muito legal esse seu comentário!
      Assim como você, muitas pessoas querem vencer seus medos para poder acompanhar seus companheiros (as) em suas viagens.
      O que posso falar?… Não sei como seu marido pilota (se é motivo de medo mesmo… rsrsrs) mas se ele é apaixonado por motos acredito que conheça bem sua máquina e seus próprios limites.
      Insegurança dá mesmo! Quem vai na garupa não é dono dos movimentos, das curvas, da velocidade… Mas é preciso confiança! E saber se comportar também!!
      Vocês costumam passear com amigos? Qual o tipo de moto que vocês têm?

      Responder
  10. Olá Heloísa boa noite!

    Sou garupa há quase dois anos e confesso é a minha terapia. Viajo muito com meu namorado. Sempre para destinos próximos… 600, 800 km.. No dia 16 de abril estaremos partindo para uma viagem de 5 dias. São Paulo Foz do Iguaçu, onde iremos até a Argentina e Paraguai.Confesso uma certa preocupação e adorei suas dicas. Temos uma FENIX MVK e gosto muito de viajar nela. Acho bastante confortável. Parabéns pelo texto e dicas.

    Abraços

    Iza

    Responder
    • Oi Iza, que legal que você curte viagens de moto. Eu também adoro, seja pilotando, seja na garupa! Mas se vocês já estão acostumados com viagens, não vejo motivo de apreensão somente por ter aumentado um pouco o percurso… Acho que as preocupações com a moto é que aumentam… Revisão, pneus novos, ter algumas ferramentas e peças de reposição (dessas que podem atrapalhar a viagem caso falhem).
      Veja também de levar bota e capa impermeáveis (porque você não terá espaço para ficar levando vários calçados), roupas práticas que permitam secagem rápida e que esquentem… O tempo está esfriando agora e quanto mais ao sul vocês forem, pior!
      De resto, aproveitem bastante!!! E se quiserem mandar algum relato sobre a viagem e fotos, terei prazer em publicar aqui no blog!
      Façam uma excelente viagem!!!
      Bjs

      Responder
  11. Eu (56) e minha esposa (52) estamos procurando passeios em grupo com pessoas legais que adoram viajar como nós em finais de semana, feriados, etc. Gostaríamos de participar.
    Fico no aguardo
    Nossa moto: Yamaha Fazer 250cc em perfeito estado, equipada para viagens.

    Responder
  12. Olá Heloisa. Otimas dicas mas, por que nao falar de garupa para moto esportiva?? Sofremos com duvidas o tanto quanto outros tipos de garupas.

    Responder
    • Oi Thamyris. Você tem toda razão… Não falei da garupa de motos esportivas pois considero a situação mais crítica!
      Motos esportivas, ou mais especificamente as super esportivas, rodam (apesar da legislação) em velocidades altíssimas e qualquer erro pode causar um acidente grave. Confesso que deixei a responsabilidade para os pilotos… rsrs. Acredito que eles sejam os mais indicados para orientar suas garupas, justamente porque eles conhecem seus parceiros ou parceiras, seus medos e ansiedades e talvez eles consigam prever comportamentos de risco. Mas vou aceitar sua sugestão e escrever um artigo sobre o tema. Aguarde… Assim que estiver pronto eu aviso, ok?
      Muito obrigada por sua participação! Bjs

      Responder
  13. Estamos procurando Moto Club que aceite casal para passeios e viagens em finais de semana, feriados, etc.
    Nossa moto: XT 660, equipada para viagem.

    Responder
    • Oi Ilza, nós não somos um motoclube, entretanto realizamos viagens com grupos de amigos. Se vocês tiverem interesse em sair para um passeio conosco, eu aviso quando organizarmos o próximo.
      Somos um grupo de amigos, solteiros e casados, gostamos de passear e nos divertir, sempre respeitando as cidades visitadas… E não gostamos de arrumar confusão, nem costumamos ultrapassar limites de velocidade.
      Nossos amigos possuem diferentes marcas e modelos de motos, não fazemos qualquer tipo de distinção, mas é necessário que a moto seja bem cuidada para não comprometer a segurança do grupo, certo?

      Responder
  14. Estamos procurando moto club que aceita casal para passeios em grupo, finais de semana, feriados, etc.
    Nossa moto: XT 660, equipada para viagens.

    Responder
  15. Olá Heloisa tudo bem?
    Estou tirando minha carta de moto e gostaria de saber se as mulheres em Londrina tem um grupo que eu possa participar para viagens.
    Aceito sugestões.
    Att.

    Responder
    • Oi Cristina, tudo bem?
      Que legal que você está tirando a carta!! Uhúuu, mais uma mulher motociclista! Tenho certeza que você não vai se arrepender.
      Não conheço muito de Londrina, sinto que não poderei ajudá-la neste momento.
      Tomei a liberdade de passar seu e-mail para um colega motociclista de Londrina e perguntei se ele possui alguma informação para te passar. O nome dele é Karlo, e é do motoclube Pés Vermelhos (http://www.pesvermelhos.com.br ).
      Divirta-se nessa sua nova empreitada e, CUIDE-SE, heim!?
      E, se puder mande notícias de suas próximas viagens – dicas são sempre bem-vindas!
      Bjs

      Responder

Leave a comment

Your email address will not be published.


*