Serrinha de Ubatuba de moto com chuva – todo cuidado é pouco!

Imagem do Google Earth de um trecho da Serrinha de Ubatuba, mostrando trechos de curvas mais fechadasImagem do Google Earth de um trecho da Serrinha de Ubatuba

Estávamos indo para Paraty partindo de São Paulo e resolvemos fazer um caminho diferente.

Quando estamos de moto, normalmente vamos pela Rio-Santos, uma estrada maravilhosa. A gente leva o dia inteiro viajando e curtindo as paisagens relaxantes das praias pelas quais passamos. Entre uma paradinha aqui e outra ali, lá se vai o dia. Mas, devo dizer, um dia excepcionalmente bem gasto.

O único problema da Rio Santos é a lentidão devido às lombadas e, em dias mais movimentados, ao trânsito local.

Desta vez resolvemos ir pela Ayrton Senna e Oswaldo Cruz, para pegar a Serrinha de Ubatuba e poder fazer um filmezinho.

Quando saímos de São Paulo, o dia estava encoberto, mas muito agradável para viajar de moto. Saímos bem cedo, assim chegaríamos à tarde e teríamos tempo de dar um rolezinho por Paraty antes do jantar. Também, era o final de semana da festa do Divino e queríamos passar em São Luiz do Paraitinga para ver a decoração e como andavam as obras de restauração da cidade (será comentado em outro post para este aqui não ficar muito longo).

O que não contávamos é que o tempo mudasse e pegássemos chuva e muito menos que ela apertasse quando entramos no trecho da serra de Ubatuba.

Para quem não conhece essa serrinha, cuidado. São 7 km de serra, com umas curvas muito acentuadas, uma serra realmente radical. Tem curvas tão fechadas que não é incomum os carros ultrapassarem o limite da faixa de separação das pistas (uma pista para subir, outra para descer).

Imagem do Google Earth de um trecho da Serrinha de Ubatuba, mostrando trechos de curvas mais fechadas

Imagem do Google Earth de um trecho da Serrinha de Ubatuba

Em alguns pontos existem áreas de descanso de maneira que é possível encostar e dar passagem aos veículos que estão atrás de você, caso não se sinta seguro em andar um pouco mais rápido.

Nós já conhecíamos a serrinha pois passamos inúmeras vezes por ela, mas sempre de carro. Vamos de moto somente quando temos tempo para curtir a estrada. Na hora da pressa, o carro é mais indicado. Quando temos algum compromisso na cidade (por conta de nossa parceria com o site www.paraty.com.br ) não podemos perder tempo… Viagem a trabalho, normalmente mais cansativa, sabe como é, né?

Quem nos lê com frequência sabe que não gostamos de andar em velocidade muito alta, atazanando a vida dos outros motoristas e nos expondo a riscos (nem os modelos de nossas motos é para isso).

Bom, a viagem a Paraty será descrita em outro post… Esse aqui é somente para falar da serrinha de Ubatuba mesmo.

Assistam o filme a seguir para ter noção do apuro que passamos… Muita chuva, pouquíssima visibilidade, ainda bem que a estrada estava livre.

Ah, detalhe, estávamos em uma moto só, com baú traseiro e alforjes laterais completamente abarrotados de equipamentos que estávamos levando para  filmar o Saco do Mamanguá. A moto estava muito pesada!

 

 

O trecho da serra é mais ou menos esse mostrado no mapa. Dando zoom você poderá ter uma ideia de como são as curvas (as piores estão no meio da serra). Se você tiver o Google Earth, vale a pena dar uma olhadinha…

 


Exibir mapa ampliado

 

E aí, gostou do post? Deixe seu comentário abaixo!

Talvez você goste também do post que fala do Saco do Mamanguá, em Paraty.

Curta nossa página no facebook e nosso canal no Youtube, assim receberá notícias e dicas de viagens.

Você também pode contribuir enviando textos e/ou fotos de viagens que tenha feito para que seja avaliada e postada aqui no blog ou no face.

Até a próxima

About the author

Heloisa Gaspar

Analista de SEO por profissão. Motociclista por opção...

Be the first to comment

Leave a comment

Your email address will not be published.


*