Passeio de bike pela Marginal Pinheiros / SP

passeios_bike_marginalpinheiros

Domingão… Que tal sair por aí pedalando e observando os cantos da cidade que passam desapercebidos no dia-a-dia tão corrido de quem mora na cidade de São Paulo?

As cidades estão se adaptando a essa nova tendência… Passear de bike, se locomover de bike… Deixar o carro em casa, pensar em poupar o meio ambiente dos gases tóxicos emitidos pelos veículos, poupar-se e às pessoas que circulam do ruído de motores e, ainda por cima cuidar da saúde de uma forma super prazerosa!

Bom, não é?

A cidade de São Paulo tem lentamente oferecido melhores condições aos ciclistas. Digo lentamente, pois bem sabemos o quanto ainda precisa ser feito, principalmente com relação às políticas de educação no trânsito e segurança dos esportistas, trabalhadores e estudantes que tem optado por esse meio de transporte… Mas esse não é o lugar para essa discussão.

Vamos aproveitar esse espaço para divulgar o texto de uma amiga que resolveu passear de bicicleta com seu marido pela marginal Pinheiros, no domingo, dia 17/02/13.

Cláudia e Alberto são donos da loja virtual de presentes Rosamundo. (www.rosamundo.com.br). Esse texto foi postado por ela no facebook como uma forma de desabafo. Quando li, rapidamente pedi sua autorização para publicá-lo aqui!

“Domingão o céu lindo lá fora, vontade de fazer um programa ao ar livre com a família. A escolha foi por um passeio de bicicleta pela cidade de São Paulo, aproveitar as ciclo faixas e olhar mais de pertinho nossa cidade, sem trânsito, sem loucura, bem democrático. No caminho a ideia, e se nos arriscássemos a um passeio pela ciclovia que beira o rio Pinheiros? Inaugurada em 2010, a pista muito bem construída, diga-se de passagem, percorre 21 km de extensão do rio. Ficamos bem empolgados com a possibilidade, talvez olhando de pertinho o rio fosse menos sujo, menos mal cheiroso, menos cinza…e o dia estava tão lindo! Alugamos as bicicletas e nos dirigimos para as rampas de acesso junto a dezenas de ciclistas. Tudo muito organizado. No meio desse acesso uma funcionária da prefeitura anotava a quantidade de ciclistas que desciam durante todo o dia.
– Bom dia! Muita gente passeando hoje?
– Record absoluto! Hoje todo mundo resolveu sair de casa!
Fomos nos aproximando muito empolgados e entramos com nossas bicicletas da ciclovia. Realmente ficamos a poucos metros do rio, em uma pista laranja bem sinalizada, lisinha e sem buracos. Coisa de primeiro mundo! Muitos bikers “profissionais” equipados com capacetes, bicicletas de última geração, uniformes impecáveis, papais, mamães com filhos, todos curtindo o domingão de céu azul, se exercitando, cuidando da saúde… Conforme iniciei o passeio fui observando o rio a minha direita, me senti estranha. Era muito, muito mais triste de perto. Na água cinza, parada, boiavam muitos dejetos de todos os tipos possíveis. Cheguei a vislumbrar sofás, botijões de gás, pneus, peças de carro, plásticos, milhares de garrafas pet e copinhos descartáveis…o cheiro era muito forte, principalmente naquele dia quente. Ao longe vi uma garça andando de um lado para outro procurando em vão não sei pelo quê, me deu pena. A visão do rio morto e putrefato não combinava em nada com o cenário na ciclovia, rostos alegres, corpos saudáveis. Isso me fez refletir tristemente sobre a ilusão em que vivemos. Não vi nada de bonito ou com a qual pudesse me orgulhar, aquilo tudo me pareceu a mais louca das alucinações coletivas. Me senti impotente e hipócrita, apesar de mais consciente. Não sei o que posso fazer no momento além de deixar aqui registradas minha decepção e tristeza, certamente estarei mais atenta a qualquer oportunidade de fazer diferença para mudar essa realidade. Aconselho verdadeiramente a quem tiver oportunidade que faça esse passeio. Nada como olhar de perto e com o coração aberto aquilo que jogamos para baixo do tapete no dia a dia para não enxergarmos. Está lá minha gente, existe e é nossa realidade, todos os dias! Como imaginarmos um mundo melhor para nós, para nossos filhos compactuando com tantas contradições?” (Cláudia Vargas, 18 de fevereiro de 2013, via facebook)

Passeio de bike pela marginal Pinheorps / SP

Foto de Alberto Lefreve

About the author

Heloisa Gaspar

Analista de SEO por profissão. Motociclista por opção...

Be the first to comment

Leave a comment

Your email address will not be published.


*